Sonhos de Maribell

Um lugar onde a imaginação é o limite.

Indicações da Semana por Maribell e Carol

Livro:

Marina – Carlos Ruiz Zafón

“Todos temos um segredo trancado a sete chaves no sotão da alma. Este é o meu.”

A primeira coisa que chamou a atenção nesse livro, por motivos óbvios, foi o título, já que se trata do mesmo nome da heroína em meu livro. O segundo motivo foi o autor, de quem já havia lido A Sombra do Vento e tinha me impressionado muito, tanto pela história como pela forma de escrever. Além disso, achei a capa belíssima, a singeleza da imagem e as cores, me cativaram. Resultado, mal li a sinopse e comprei o livro, cheia de expectativa. Bem, comecei a ler e fui ficando envolvida, como sempre a linguagem rebuscada de Zafon me agrada bastante, ele tem uma veia poético-dramática fortíssima em seus textos, por isso acabo me identificando pois lembra um pouco meu próprio estilo e o de outros autores que aprecio.
Mas a medida que leitura seguiu fui ficando surpresa, porque a história não combina em nada com a imagem passada na capa, muito menos com o título curto e contido, que pouco nos diz, a não ser que o livro possivelmente nos contará a história de alguém chamada Marina, sendo possivelmente um romance ou drama clássico. Pois bem, eu estava enganada, muito enganada. Quando acabei de lê-lo, tive ímpetos de ligar pra editora e reclamar de “propaganda enganosa”. Porque apesar de realmente ser lindamente bem narrado, o livro está mais para “Frankenstein” do que para “Alice no País das Maravilhas”, como é sugerido pela imagem e breve resumo.
Gente, existem momentos de puro terror que muito me lembrou filmes como “Jogos Mortais”, com gente decepada, pedaços de corpos e cadáveres animados, no melhor estilo zumbi. Interessante que já li livros sobre zumbis (Sangue Quente/ Orgulho e Preconceito e Zumbis), mas em nenhum momento senti metade do nojo que senti dessa vez. E sabem por que? Tudo é a forma de se narrar, o ambiente que o autor cria tão bem, de uma Barcelona sombria e escura, dos comentários do cheiro de podridão, do suspense e mistério constantes na vida de todos. E o pior ou melhor, o fato de que NENHUM personagem nesse livro tem um final feliz, TODOS, sejam personagens do passado ou presente tiveram e tem um final triste. O livro é pequeno, mas tenho de dizer, demorei muito pra concluir a leitura, porque o texto é tão denso e pesado, que às vezes eu lia uma página e precisava para pra respirar, antes de criar coragem pra continuar.
A vida do adolescente Óscar, estudante de um colégio interno em Barcelona, vira de cabeça pra baixo quando por acaso encontra a misteriosa e bela Marina. Será ela que de forma acidental os levará a conhecer um grande e terrível segredo. Juntos percorrerão os caminhos tortuosos pra solucionar um caso tenebroso. E a medida que os fatos se desenrolam, tudo de revelará cada vez mais macabro e fantástico.
Vou ser sincera, terminei de ler o livro sem conseguir me decidir se gostei ou não. Quando abri a Revista Veja dessa semana, fiquei surpresa ao ver que Marina já está em 4º lugar na lista do 10 livros mais vendidos de ficção e acabou de ser lançado no Brasil. Que o livro é bom, não resta dúvida pois tem todos os ingredientes das grandes tragédias, amores impossíveis, perdas irreparáveis, personagens carismáticos e melancólicos. Mas, se esse tipo de literatura agradará a todos? Bem, só lendo pra conferir, não é mesmo?

Achei esse booktrailer da versão portuguesa do livro, com outra capa inclusive e gostei bastante. Confiram!

Sinopse:
Na Barcelona dos anos 1980, o menino Óscar Drai, um solitário aluno de internato, conhece Marina, uma jovem misteriosa que vive num casarão com o pai idoso. Em passeios pela cidade, os dois presenciam uma cena estranha num cemitério e se envolvem na resolução de um mistério que remonta aos anos 1940. Numa tentativa inútil de escapar da própria memória, Oscar abandona sua cidade. Acreditava que, colocando-se a uma distância segura, as vozes do passado se calariam. Quinze anos mais tarde, ele regressa à cidade para exorcizar seus fantasmas e enfrentar suas lembranças – a macabra aventura que marcou sua juventude, o terror e a loucura que cercaram a história de amor.

Música:

Gosto dessa música principalmente pela mensagem de força e superação que ela induz nas pessoas. Essa música transfere a nós sentimentos de luta e perseverança e faz-nos querer ir em frente e lutar contra o que quer que esteja nos impedindo de ser felizes.
O ritmo regular e a voz do cantor só contribuem para fazer dessa uma música romântica e esperançosa.
Realmente não tenho muito a dizer sobre ela, sinto muito. Mas para quem gosta de The Vampire Diaries e acompanha a série regularmente: essa música nào tem tudo a ver com a atual situação do Stefan? Sério, a letra não se encaixa direitinho no que ele está vivendo no momento? (Confesso que isso ajudou a me fazer gostar da música, viu? Amo TVD! *-*)
Realmente lamento pela péssima resenha dessa semana. É que não tenho mesmo muito a dizer sobre a canção, mas queria muito indicá-la. Desculpem-me. >.<

OBS: Apesar de ser um homem que canta a música e ela, provavelmente, ser dedicada a uma mulher, traduzi a letra colocando tudo no masculino – por causa do Stefan. Só para avisar.😉
OBS 2: Gente, o vídeo que eu achei tem mais ou menos um minuto a mais de duração do que a música mesmo, então não sugiro que vocês utilizem esse link para baixá-la; realmente não consegui achar outro. Se vocês não acharem ou não se importarem, a única coisa é que vai haver mais ou menos um minuto de silêncio depois do término da música.

Original:

You got lost for a while
You’ve been trying
To find a smile

You got stood up
Then you fell down
And when you needed
There was no one around

You love the previews
And you hate the movies
You scream at the screen,
“Something move me!”
Before you start to fade away

Give me all your fear,
Throw it all away
And think about the good things
No matter what they say

We’ll take tomorrow, baby,
One day at a time

You just stare into space
You found love,
But it got erased

You’re on the road
With all the stoplights
And you’re too afraid to turn
The wrong from right

You ate your soul
And it made you fat
Starve yourself from everything else
That makes you completely full

So give me all your fear,
Throw it all away
Think about the good things
No matter what they say

We’ll take tomorrow, baby,
One day at a time

So you run,
So you hide
And you watched
As they died

They all fell,
You could fall too
Or you could sew your wings
And try to fly right through

So give me all your fear,
Throw it all away
Think about the good things
No matter what they say

We’ll take tomorrow, baby,
One day at a time

One day at a time

Tradução:

Você se perdeu por um momento
Você tem tentado
Encontrar um sorriso

Você se ergueu
Depois você caiu
E quando você precisou
Não havia ninguém ao redor

Você ama os trailers
E odeia o filme
Você grita para a tela,
“Que alguma coisa me mova!”
Antes que você comece a desaparecer

Dê-me todo o seu medo,
Jogue-o todo fora
E pense nas coisas boas
Não importa o que digam

Nós pensaremos no amanhã, baby,
Um dia de cada vez

Você apenas olha para o espaço
Você encontrou amor,
Mas ele foi apagado

Você está na estrada
Com todos os semáforos
E está com muito medo de
Ir da “esquerda” para a direita*

Você comeu sua alma
E ela a deixou gordo
Passa fome de qualquer outra coisa
Que o deixe completamente satisfeito

Então dê-me todo o seu medo,
Jogue-o todo for a
Pense nas coisas boas
Não importa o que digam

Nós pensaremos no amanhã, baby,
Um dia de cada vez

Então você corre,
Então você se esconde
E você viu
Enquanto eles morriam

Todos eles caíram,
Você poderia cair também
Ou você poderia costurar suas asas
E tentar voar através de seus problemas

Então dê-me todo o seu medo,
Jogue-o todo for a
Pense nas coisas boas
Não importa o que digam

Nós pensaremos no amanhã, baby,
Um dia de cada vez

Um dia de cada vez

4 Respostas para “Indicações da Semana por Maribell e Carol

  1. Mariana 04/11/2011 às 18:25

    Mari! Carol! Como vão, queridas?
    (Gente, tô escutando Alguma Coisa Aconteceu da Bela e a Fera agora, olha que felicidade!)
    So… Primeiramente sobre a indicação de leitura… Eu me sinto envergonhada de dizer isso, mas é preciso! Eu ainda não li nenhum dos livros que vocês indicaram aqui. Não é que eu minta, não! Eu realmente fico interressada e até vou atrás, mas depois acaba que tem outro que me chama mais atenção e aí eu acabo não lendo… Mas um dia eu vou conseguir!
    Voltando à indicação de hoje: Você sabe que eu vi esse livro outro dia na livraria? Peguei ele e pensei com os meus amados botões “Deve ser bom, afinal é do mesmo autor de A Sombra do Vento, mas será que eu não devia começar por A Sombra do Vento?” e aí deixei-o lá, sozinho a espera de outro leitor mais sábio que eu.
    Mas, Mari, concordo plenamente com você! Pelo que eu li na sinopse e vi na capa, a história era outra! E essa que o booktrailer e que você passou me atraí muuuuuito mais! O que é cômico prque eu sou uma das pessoas mais medrosas que vocês vão conhecer em toda sua vida!

    OK… Agora em relação à música: Adorei a letra, Carol! E The Vampire Diaries tá MUITO booooom, moleque! Kkkkkk Falando sério, nossa a séria tá muito boa, daqui a pouco vou conferir lá no site se já postaram o link com o episódio de ontem… E a situação do Stephan agora e da Elena está me fazendo sofrer junto com eles! Você tem razão, a música resume todo esse processo pelo qual eles estão passando!

    Obrigada pelas dicas, amores mios!

    Chiao, bellas!

    • Carol Andrade 06/11/2011 às 21:06

      Oi, Mari.
      Ah, adoro músicas da Disney, especialmente de A Bela e a Fera.

      Nossa, TVD está muuuito bom! Tipo, é sempre assim:
      Você acha a pessoa a maior filha da p*ta, aí explicam a história dela e você percebe que é impossível odiá-la, chegando até a amá-la. Foi assim com o Damon, depois com a Katherine, e agora com o Klaus. *—*

      Minha mãe está completamente viciada na série, assim como a moça que trabalha aqui na minha casa. Viciei todo mundo. Hehehe.
      Mas elas esperam sair o DVD, porque preferem esperar um ano e ver tudo de uma vez a ficar vendo um a cada semana e ter que esperar o hiato acabar.

      Enfim, né? Foco, Ana Carolina.
      Adorei saber que você gostou, querida.

      Beijos.😉

  2. Adriana 04/11/2011 às 18:56

    AaaaDoooReeeiii a indicação na semana…..
    Tanto o livro e a música são INTENSOS e CHEIOS DE FORTES EMOÇÕES do início ao fim…

    Fiquei curiosa …
    Um ótimo final de semana para vcs…
    Abr e Bjs
    :- ))

  3. narjarapedroso 06/11/2011 às 15:57

    Mari, preciso dizer que discordo de você em relação a capa.
    Bom, se a capa fosse colorida, eu poderia ter sentido a singeleza que você sentiu.
    Pra mim, escala de cinza demostra frieza, distanciamento. Cinza, na minha opinião, só representa tristeza. Por isso, eu não vi alegria na capa desse livro. De início, eu imaginei uma história melancólica, mas não de suspense, como você disse que ela é.
    Esse eu vou ler só de curiosidade. rsrsrs
    Bjim mineiro cheio de saudade *.*
    Narjara

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: